Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Topo

Topo

TEDxSãoPaulo Mulheres que Inspiram (parte I)

Angela Peres, Daniela Gomes, Eliane Dias, Gláucia Costa, Kenia Maria no TEDxSãoPaulo Mulheres que Inspiram. Veja ou reveja suas falas.

por   em Empoderamento   | 17.04.2017

 

TEDx São Paulo - Mulheres que Inspiram

E aí minha gente, tudo bem?

No finalzinho de maio do ano passado (2016), a convite da minha amiga Alexandra Loras (ex-Consulesa da França em São Paulo), eu e mais um montão de outras mulheres negras nos candidatamos a trabalhar como voluntárias no TEDxSãoPaulo Mulheres que inspiram.

Eu já havia assistido algumas palestras TED mas nunca havia participado da organização de um evento como esse e não tinha ideia de como esse processo se dava, no entanto quando soube que no palco teriam mais de 20 mulheres negras dividindo com o mundo suas (e muitas vezes nossas) histórias e/ou iniciativas inspiradoras, não pestanejei, aceitei!

Antes de contar como foi essa experiência e te mostrar cada uma das falas, vou te explicar o que é e como funciona um evento TED:

TED é uma organização sem fins lucrativos com o espírito de promover ideias que merecem ser espalhadas. Em uma conferência TED, pensadores e realizadores de todo o mundo são convidados a darem a melhor palestra de suas vidas em até 18 minutos.

A iniciativa do TEDx fornece licenças gratuitas para que pessoas ao redor do mundo organizem eventos no formato TED em suas comunidades, exibindo palestras do TED e trazendo apresentadores.

Resumindo: uma conferência TEDx reúne pessoas dispostas a compartilhar as mais diversas experiências (no formato de palestras) e pessoas dispostas a escutar tais experiências. Essas palestras são gravadas, legendadas e disponibilizadas no site www.ted.com. Mesmo que você não consiga assistir uma dessas conferências, saiba que em breve poderá assisti-la onde e quantas vezes quiser.

O TEDxSãoPaulo Mulheres que Inspiram foi realizado no dia 23 de julho de 2016, no luxuoso Hotel Unique, localizado nos Jardins, zona sul de São Paulo, idealizado por Alexandra Loras, teve curadoria de Elena Crescia  e contou com 18 palestrantes, 2 apresentadoras e uma platéia de mais 400 pessoas – sem contar a quantidade de voluntários que, para dizer a verdade, eu não tenho ideia de quantos eram, só sei que éramos muitos, quer dizer muitas, muitas mulheres negras :)

Você deve estar se perguntando: “Bia, porque você demorou tanto tempo pra me falar sobre isso?” e eu te respondo: “Estava esperando o site disponibilizar os vídeos de todas as palestras e as vezes isso demora um pouquinho.

Chegamos no hotel um pouco antes da 9 horas da manhã e rapidinho nos organizamos em nossos postos de trabalho. Minha missão: ajudar na sala de palestrantes, o que eu fiz com muito prazer. O clima era de muita alegria, mas também tinha uma tensão no ar, afinal não é todo dia que se sobe no palco para falar com tanta gente sobre questões/experiências tão únicas e tão comuns a nós, mulheres negras. Foi lindo!

Bom… Chega de falatório. Tire um tempinho e assista cada uma das falas. É possível que você se identifique com uma, duas ou muitas delas, pode ser também que uma rola lágrima role de seus olhos sem que você perceba. Não vou mentir para você, qualquer semelhança com a sua vida não é mera coincidência.

Mais algumas coisinhas: como eu sabia que esse post ia ficar muito grande, ele foi dividido em 3 partes, para não dar spoiler das palestras, antes de cada uma deixei apenas a apresentação que recebemos no flyer do evento, as palestras foram listadas por ordem alfabética do nome das palestrantes, a ordem de importância/identificação ficará por sua conta 😉

1. Como sair do piloto automático – por Angela Peres

Angela é doutoranda em Antropologia Social pelo Museu Nacional (UFRJ), mestre pela mesma instituição e bacharel em Ciências Sociais pela UNESP. Em diálogo com sua trajetória de atriz, atualmente dedica-se a investigar a relação entre sociedade de consumo, modos de comunicar artisticamente e possibilidades de inventividade.

 

2. O poder do Hip Hop – por Daniela Gomes

Daniela é jornalista, ativista do movimento negro, nascida e criada na periferia de São Paulo. É doutorando na Universidade de Texas e sua pesquisa foca no papel transformador do Hip Hop como ferramenta de empoderamento de jovens negros em São Paulo. Em 2011, foi selecionada pela ONU para participar do primeiro programa de Fellowship para Afrodescendentes.

 

3. Desafiando a estatística – por Eliana Dias

Eliane é advogada e atualmente coordena o SOS Racismo na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Junto com o seu marido, o rapper Mano Brown, criou a produtora Boogie Naipe e há 4 anos é responsável pela carreira dos Racionais MC’s. Sempre foi uma mulher independente, exemplo para todos que a conhecem – por onde passa, busca levar uma palavra de esperança e confiança.

 

4. O vitimismo mata – por Gláucia Costa

Nascida em Araguari – MG, Gláucia é bacharel em Ciência da Computação e estudante de teatro. Gláucia é consultora na área de métricas e estimativas. Em 2013, com a ajuda do teatro, descobriu o poder da comunicação, uma grande aliada na luta pelos direitos humanos.

 

5. Tá bom pra você? – por Kenia Maria

Kenia é uma atriz nata, sempre engajada artisticamente e preocupada com o social. Em 2013 fundou junto com o ator Érico Brás a série “Tá bom pra você?”, na qual trabalha como atriz, tratando de questões raciais de forma leve e com um humor inteligente.

E aí, está gostando? Já tinha assistido algum desses vídeos? Conhecia alguma dessas divas? Se identificou com alguma dessas questões? Conte-me tudo, não me esconda nada!

Clique aqui para assistir a parte 2.
Clique aqui para assistir a parte 3.

Até daqui a pouco!
Imagens: Anderson de Jesus – Todos os negros do mundo

Espalhe por aí!
 

Dê sua opinião!

Fique tranquila, seu e-mail não será divulgado.