Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Topo

Topo

Diário de uma Noiva Negra #2: a escolha do vestido

Afinal, é você quem escolhe o vestido de noiva ou é ele quem te escolhe? Divirta-se com a história de como a nossa noiva negra Lu Novaes encontrou o dela.

por   em Noiva Negra   | 13.11.2015

 

Diário de uma noiva negra: a escolha do vestido de noiva

Como não sou a primeira do meu ciclo de amigas a casar, sempre ouvi muitas histórias sobre a escolha do vestido, desde o local inadequado e atrasos até a alegria de ser surpreendida com aquilo que sempre sonhou.  De tudo o que ouvi, a frase que nunca esqueci e para mim fez total sentido é: “Você não escolhe o vestido, ele é quem escolhe você”. Fato.

O meu vestido não é muito parecido com aquele que desenhei desde pequena ou com as imagens que pesquisei durante meses. O dia da escolha do vestido foi do único jeito que falei que jamais faria, em uma Feira de Noivas. Tinha pavor disso, até pelas histórias que sempre ouvi e pelo fato de não ser devidamente atendida com atenção, devido o movimento do local. E saiba que esse momento é muito importante e se não forem atenciosos, fuja. Esse é o sinal de que o local não é o ideal para fazer o vestido da sua vida.

Bom, vamos ao cenário deste dia glorioso!!!

Domingo nublado, frio e eu sem fazer nada em casa, desanimada, até que me lembrei da Feira das Noivas no Expo Center Norte. Não estava esperando muita coisa, pois era o último dia da feira e já era tarde, quase noite. E lá vamos nós….

Atenção noivas: feiras são super legais, mas se você não tiver foco não irá funcionar muito bem. Antes de ir pense o que quer: pesquisar algum item especifico, fechar algum contrato, ter ideias ou só bater perna? Vale tudo! O mais importante é sempre alinhar à expectativa.

Eu, sem experiência, fui com a minha mãe, muito empolgada e achei tudo lindo, maravilhoso (era muita informação naquele momento), não sabia nem o quanto iria gastar com festa, igreja, vestido, cabelo… nada. Apenas entrei e fui surpreendida pelo acaso.

Andei,  perguntei, questionei, tive ideia, me senti pobre, fiquei desesperada, mas gostei de estar ali naquele momento, pois foi quando me senti noiva de fato. Vi vários vestidos bonitos, feios, coloridos, perolados, brancos, princesas, rainhas, debutantes… mas nada que eu quisesse provar. Não fechei nada e, pela falta de dinheiro naquele momento, quis ir embora, já que nada poderia fazer ali além de sonhar e, para mim, o passeio tinha valido a pena e já estava ótimo (mantra mental).

A caminho da saída, com a sensação de que haveria uma longa estrada até o planejamento real do casamento, tropeço em frente a um stand. Meio desajeitada me apoio em um cara, peço desculpas e ao levantar os olhos me deparo com um lindo vestido branco de noiva. “Nossa que lindo!” falei para minha mãe. O acabamento me chamou a atenção e o layout do stand também (trabalho com comunicação e algumas coisas me saltam os olhos).  O tal cara era o vendedor que perguntou “Não quer entrar?”. Pensei: “Não tô fazendo nada, você também…” Entramos! Sem expectativas, até porque a ideia não a era fechar nada.

Bem, já que estava lá, provei pela primeira vez um vestido de noiva. Não gostei! Não era nada daquilo. Não me vi naquele vestido. Me senti gorda, queria fugir daquele lugar. Pessoas passando, olhando, aliás me olhando de noiva. Não, não, não….fui tirar o vestido pra ir embora correndo. Troquei de roupa, voltei a realidade e educadamente fui me despedir do vendedor, quando apareceu O ESTILISTA…

Estilista = seu melhor amigo no momento da escolha do seu vestido. Observe se ele é sincero. Se a resposta for sim, confie e dê mais pontos a ele. Essa é uma pessoa que estudou para estar ali criando vestidos, ele sabe o que está fazendo, pode ter certeza e, normalmente, tem experiência neste universo de noivas.

Como eu disse, eu já sonhava com o meu vestido há muito tempo e estava certa dele, até aquele momento. Parei e sentei-me à mesa com o estilista para conversar, eu e minha mãe, mais empolgada que eu. Mostrei toda feliz e orgulhosa a foto do vestido dos meus sonhos e eis que ouço – “Por favor, levante para eu te ver melhor…” – eu ainda estava feliz até…. ”Não, não, esse vestido não vai ficar bom em você. Veja a cintura dele, olhe a sua altura…” um balde de gelo. Fui murchando….até ouvir “… Mas já entendi o seu estilo, você gosta de coisas mais clássicas e românticas como este, só temos que rever o modelo”. Alivioooo, amém! Ele falou o que nunca consegui resumir: CLÁSSICO E ROMÂNTICO. É isso! Sempre foi! Essa sou eu, inclusive! Pronto, feliz de novo, mas preocupada, porque não tinha ideia de modelo.

“Venha cá, vamos provar algo que eu já imagino para você”. Tira, põe, pega uma saia …ouvi  saia?? Socorro… o cara era mega criativo, nunca havia pensado nisso (desculpem a minha inocência, mas nunca havia pensado mesmo). Enfim, tira, põe e estou pronta, em frente ao espelho vestida de noiva, com cara de cansada, não vendo mais nada ao meu lado, só via a mim e ao meu vestido, a coisa mais linda do mundo. Me vi de noiva de verdade e quase chorei (quase, porque comprar coisas de casamento com lágrimas nos olhos é mais caro, então, engoli o choro, sem emoção). Fiquei firme e falei  “Tá. É isso. Gostei!“. Só que eu, Luciana, sou chata, quero o meu vestido, feito sob medida, novo, ou seja, primeiro aluguel.

Vamos ao desenho, adoro pessoas criativas. Em menos de 30 minutos estavam lá, os meus vestidos lindos desenhados no papel. Sim, plural, porque escolhi três: civil, igreja e festa. Que festa? Pula essa parte, naquele momento ela ainda não existia. Sim, não haveria festa até aquele dia, mas depois eu volto para falar sobre isso. Enfim, os vestidos não eram do jeito que sempre sonhei, mas eram feitos para mim e combinam comigo. É isso que importava naquele momento, até vir o preço.

Preço = valor = aquilo que você pode e se dispõe a pagar naquele momento pelo o vestido dos seus sonhos. Pode ser o mais simples ou de rainha, mas é o seu vestido para o seu dia tão especial. Dica do coração para este momento: saiba o quanto você pode gastar e qual é o seu limite real, não pense que vai nascer dinheiro de um mês para o outro, trabalhe com o cenário de hoje para não fazer loucuras. E o principal, se sinta SEGURA da sua decisão, desde o modelo, mas principalmente, o profissional que fará o seu vestido, precisa sentir se rola sinergia entre vocês.

Negociei, negociei… e como meus pais que me dariam de presente, negociei mais ainda… até que fechei! Comprei meu vestido na Feira de Noivas, quem diria. E o melhor de primeira. Só para lembrar, aquela tinha sido a primeira vez que me vestia de noiva. O fato é me senti segura da minha decisão, e isso, é o fundamental. Não importa se você vai provar 10 ou 30 vestidos, faça isso até os seus olhos brilharem ao se ver como noiva, até o seu coração aquecer e bater forte.

  • Dicas importantes:
    Pesquise se o local escolhido para a compra do vestido tem reclamações no site Reclame Aqui. Esse é o melhor canal para tudo sobre os fornecedores.
  • Acesse os canais online do local: site, facebook, instagram, pinterest, twitter… veja alguns dos comentários e interações.
  • Se você tiver a oportunidade de pesquisar e falar com outras noivas que compraram o vestido no local escolhido, perfeito. Fale! Desse jeito você pode pegar mais detalhes da empresa.
  • Não leve com você, para o momento da negociação, pessoas muito emotivas, que não conseguem se controlar e choram, isso também influencia no preço do vestido. E, se possível, segure o choro na hora em que sentir diversas as emoções ao ver o seu vestido.

A busca pelo vestido ideal é a parte mais legal. Fui rápida e pega pelo acaso. Espero que vocês curtam esse momento, pois é especial e mágico! Pesquise, sinta-se feliz e segura de suas decisões. Não se cobre pela escolha ela, irá acontecer na hora certa. Tudo que envolve o casamento deve ser leve e bom, pense sempre nisso quando pensar em ficar estressada. Lembre-se do porquê esta fazendo tudo isso. E faça aquilo que VOCÊ NOIVA QUER e não o que os outros querem. O foco é você!

Nota: meu vestido da noiva negra está sendo desenvolvido pelo Thomas Araujo, o desenho foi feito pelo Felipe Bessa e a costura por Gerson Dágola e Marilene.

Espalhe por aí!
 

Dê sua opinião!

Fique tranquila, seu e-mail não será divulgado.