Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Topo

Topo

Black Mirror Project e a falta de diversidade no mundo da moda

Black Mirror Project. Conheça o ensaio fotográfico que recria campanhas publicitárias chamando atenção para a falta de diversidade no mundo da moda.

por   em Empoderamento   | 20.12.2016

 

Você conhece a modelo Deddeh Howard? Já ouviu falar do projeto Black Mirror? Se a sua resposta foi SIM para qualquer uma das perguntas acima, você precisa ler esse post.

Indignada com o porquê de marcas como Gucci, Chanel, Louis Vitton, Guesse não usarem (ou raramente usarem) modelos negros em suas campanhas, a modelo africana Deddeh Howard, natural da Libéria, em parceria com o fotógrafo Raffael Dickreuter, criou o Black Mirror Project, um ensaio fotográfico que recria grandes campanhas publicitárias chamando atenção para a falta de diversidade no mundo da moda.

Em uma época em que os negros estão constantemente na mídia por serem pouco representado em eventos importantes como o Oscar ou por aparecerem no noticiário sendo alvo da violência policial, senti que era hora de fazer algo positivo e inspirador sobre a minha raça.

Segundo Deddeh não foi fácil recriar as imagens e deixá-las o mais parecido possível com as originais, no entanto ela afirma que ainda que fosse um grande desafio, era importante e necessário fazê-lo. E fez! Veja só como ficou INCRÍVEL:

Black Mirror Projetc e a diversidade no mundo da moda

Black Mirror Projetc e a diversidade no mundo da moda

Black Mirror Projetc e a diversidade no mundo da moda

Black Mirror Projetc e a diversidade no mundo da moda

Black Mirror Projetc e a diversidade no mundo da moda

Black Mirror Projetc e a diversidade no mundo da moda

Black Mirror Projetc e a diversidade no mundo da moda

Black Mirror Projetc e a diversidade no mundo da moda

Como tantas outras modelos negras, ao visitar as agências, Deddeh ouvia que não poderia ser contrata porque a agência já tinha em seu casting uma ou duas modelos negras, como se esse número fosse o bastante para representar a população negra, uma vez que a quantidade de modelos brancos agenciados é incomparavelmente maior.

Mais do que apenas estar nas propagandas, precisamos efetivamente fazer parte delas, queremos nos ver representados em papéis de destaque, relevantes mas isso precisa acontecer proporcionalmente igual a sociedade em que vivemos (já que no Brasil, segundo o IBGE, somos 53,7% da população).

Para conhecer um pouco mais do projeto ou da Deddeh Howard, basta segui-la no Instagram @secretfdd ou visitar o site secretofdd.com.

Beijinhos e até mais!

 

Imagens: secretofdd.com

Espalhe por aí!
 

Dê sua opinião!

Fique tranquila, seu e-mail não será divulgado.